O sabor de caminhar com as próprias pernas

O sabor de caminhar com as próprias pernas

De não ser filho de ninguém

De não conhecer alguém

De se meter em uma área que se tem um total de 0 contatos

Ninguém pra pedir conselho, ajuda, indicação.

O sabor de não ganhar nada na mão.

O sabor de não ser fácil, de se sentir pra trás, incapaz

O sabor de um pão no débito e outro sonho no crédito

Meu Deus, o sabor de construir algo sozinho.

Com a força da mente, um coração intensionado, e uma paixão ardente.

O sabor de não sossegar por menos, de se virar nos 30, de chorar mas aceitar

De trabalhar incansavelmente, e seguir em frente.

Que privilégio ter passado tanto perrengue!!!

Quem também sente?

O. sabor. de. crescer. no escuro. é. inigualável.

De ninguém, na intimidade, realmente saber o struggle de verdade

E então, de chegar o momento, olhar pra trás e ver a distância percorrida

A minuciosidade com que a obra foi esculpida

A grandiosidade do que se foi criado aqui dentro

A beleza de ser um só com a vida

O orgulho de ser o artista

O momentum de sentir o art de vivre no canal

Meu Deus, o gosto de construir com as próprias mãos,

pura e simplesmente,

é realmente opulente.

.

.

.

Foto: Paris, França.

2 thoughts on “O sabor de caminhar com as próprias pernas

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s